bebida álcoólica

Como usar bebidas alcoólicas para temperar os mais diversos tipos de carnes – Parte 3: vinhos, espumantes e frisantes

04:37

VINHO TINTO
produzido a partir da fermentação do suco, ou mosto, extraído de uvas pretas ou tintas. O tempo de maceração e o tipo de uva utilizado é que irão conferir o tom de coloração e a

Leia também 
intensidade do sabor do vinho tinto.

Seco – vegetais assados, carnes vermelhas, embutidos, frios, ovos (pratos quentes).
Jovem – sopas, cremes, frango com molho
Leve – Frios, frango assado e ou acompanhado de molho, vitelo, bacalhau. Queijos: gruyère, gouda e cheddar.
Encorpado e envelhecido – peru, pato, faisão (assado), suíno. Queijos: brie e gorgonzola.
Demi-sec – vegetais assados, queijo duro, pães, carnes brancas e vermelhas, embutidos, crustáceos.

VINHO BRANCO
produzido a partir de uvas brancas: “blanc de blancs”: ou de uvas negras: “blanc de noir”. Sim, o vinho branco pode ser produzido com uvas tintas. Diferentemente do vinho tinto, o branco é servido gelado. O que determina a cor “branca” é a separação das cascas da uva do mosto antes da fermentação.

Seco – Vegetais crus e assados, caviar, salmão, ostras, crustáceos, peixes fritos, ovos (pratos frios e quentes), frango com molho, amidos e carboidratos. Queijos: carmembert, e gruyère.
Demi-sec (seco ligeiramente doce) – embutidos, doces, queijos duros, queijos macios e queijo itálico, massas leves, amidos e carboidratos.
Rico – queijos macios, torradas, carnes brancas.

ESPUMANTE
É todo vinho que sofre duas fermentações. A primeira é a fermentação alcoólica, comum de todos os vinhos, que transforma o açúcar da uva em álcool e que ocorre em tanques ou barris de carvalho ou em autoclaves de inox. A segunda, onde o espumante adquire a efervescência/gás (CO2), tanto pode ocorrer em tanques de aço inox pressurizados (método charmat) como podem ser feitas na própria garrafa (método champenoise ou tradicional/clássico).

Como já diz a famosa frase “todo champagne é um espumante, mas nem todo espumante é um champagne.” (autor desconhecido).
Champgne é um tipo de espumante fabricado manualmente na região de Champagne na França, portanto, tendo D.O.C (documento de origem controlada) é único que pode ser mencionado como CHAPAGNE. Qualquer vinho semelhante, mesmo produzido pelo método champenoise em outros locais ou países só pode apelidar-se de "espumante" e nunca "champanhe".

FRISANTE
Trata-se de uma fermentação sem vinho base, ou seja, como não tem vinho base, tanto a fermentação alcoólica quanto a toma de espuma ocorrem no mesmo processo. E nos vinhos frisantes o método para obtenção das bolhas pode ser natural (CO2) ou artificial (anidrido carbônico).
Por essas diferenças no método de produção, o frisante sempre terá menor nível de gás carbônico em relação ao espumante. Isto é, o vinho frisante é menos gaseificado e tem menos espuma do que um espumante.

Vale destacar que o Lambrusco é o principal vinho italiano reconhecido nos Estados Unidos, já que somente no país norte-americano são exportados dois milhões de caixas desse tipo de vinho, nas versões branco, tinto e rosé. Um fato curioso é que os Lambruscos brancos e rosés são produzidos somente para o mercado externo, ou seja, na Itália só é consumido o Lambrusco tinto. No Brasil é esse vinho que coloca a Itália em terceiro lugar como o país produtor preferido do brasileiro, logo a seguir aos vinhos do Chile e Argentina.
*** ainda não encontrei receitas usando para espumante e frisante para conferir sabor quando eu encontrar e testar eu posto. Uma coisa é certa: são ideais para acompanhar entradas e petiscos.

Pratos salgados precisam de vinhos com acidez naturalmente alta
Comida oleosa requer acidez ou taninos
Peixes carnudos podem ser acompanhados por um tinto leve
Pratos defumados se chocam com vinhos envelhecidos em carvalho
Pratos condimentados precisam de vinhos refrescantes
Harmonize carnes brancas com brancos encorpados ou tintos leves
Carnes vermelhas podem encarar taninos fortes
Harmonize os vinhos com os molhos, não com o que está por baixo




Fonte

ADEGA DO VINHO   VITICULTURA   BLOG CLUBE LAR   CARLOSCABRAL   ACADEMIA DO VINHO   VINHOS NET   PETIT GASTRO   MUNDO VINHO



Como usar bebidas alcoólicas para temperar o mais diversos tipos de carnes
parte 1: whisky | parte 2: conhaques e licores | parte 4: cervejas | parte 5: cachaça

You Might Also Like

0 comentários